10 dicas para não errar na hora de escolher uma academia
A preocupação com qualidade de vida e bem-estar vem aumentando gradativamente entre os brasileiros, mas ainda está longe de ser uma prática regular. Segundo a Fitness Brasil, hoje, apenas 2,1 milhões de pessoas estão dentro das 7 mil academias, existentes no Brasil, sendo que cada academia tem em média 300 membros. Essa realidade se transforma com a proximidade do verão, muitas pessoas decidem abandonar o sedentarismo e procurar um espaço para malhar e "perder os quilinhos" conquistados durante todo o ano.

Silvia de Féo, diretora Executiva da Fitness Brasil, explica que esse crescimento é natural. "A partir do mês de setembro as pessoas começam a se preocupar mais com o corpo. As altas temperaturas atraem mais clientes às academias, e essa demanda cresce, e elas ficam lotadas, chegando a ampliar o número de alunos em até 30%", afirma. Para atrair cada vez mais alunos, as academias investem em equipamentos modernos e novas modalidades. Hoje, a maioria dos centros especializados está preocupada em oferecer não somente atividades para fortalecer o corpo, mas também cuidados para a mente e a alimentação.

Os adeptos da malhação zen podem moldar o corpo em aparelhos de Pilates, posições de ioga, além de aulas que misturam tai chi chuan, dança e meditação. "As atividades relaxantes e que proporcionam bem-estar chegaram para ficar", finaliza. Os interessados em praticar atividades físicas orientadas devem tomar alguns cuidados na hora de se matricular em uma academia, para que esta supra suas necessidades. Para que não seja lesado, confira as indicações da executiva:

1. Observar se as instalações do espaço proporcionam segurança e higiene;
2. Verificar se o preço praticado está compatível com o mercado;
3. Checar se os professores são formados em Educação Física;
4. Avaliar se a opções de modalidades e horários estão de acordo com as necessidades;
5. Verificar qual o melhor horário para a prática do exercício físico de acordo com a rotina diária (pela manhã, no horário do almoço ou no final do dia) para que se adeqüe a rotina, evitando assim desistência;
6. Escolher uma academia que esteja, preferencialmente, próxima do trabalho ou de casa, para facilitar a freqüência;
7. Notar se os equipamentos, instalações e acessórios estão bem conservados e modernizados;
8. Certificar-se do acompanhamento de profissionais da saúde, como nutricionistas e fisioterapeutas;
9. Notar toda a infra-estrutura da academia: estacionamento, lanchonete, piscina, vestiário, ambulatório, avaliação física e segurança, etc.
10. Solicitar um contrato que formalize a matrícula. O documento deve discriminar as atividades que serão exercidas, horários de aula, valor da mensalidade, multas por atraso de pagamento e a cláusula de rescisão, para não ter problemas caso haja desistência.

http://sentirbem.uol.com.br/index.php?modulo=artigos&id=111&tipo=3